Notícias

15 de agosto de 2019

Nota de Repúdio ao Diretor Geral Hugo Dias e ao médico Victor Vinicius




Casos de assédio moral, tentativa de intimidação e machismo aconteceram na UPA de Cidade da Esperança

O Sindsaúde RN vem a público denunciar e repudiar as ações de assédio moral, tentativa de intimidação e machismo praticadas pelo Diretor Geral, Hugo Dias e o médico, Victor Vinicius de Almeida (CRM: 6229) na UPA de Cidade da Esperança, em Natal.

Na manhã desta quarta-feira (14), mediante convite dos servidores da UPA de Cidade da Esperança, a direção do sindicato participou de uma reunião convocada pela direção da unidade com os funcionários que participaram do Dia de Paralisação, ontem, na terça-feira (13). Na ocasião, os servidores relataram aos dirigentes sindicais as ações constantes de assédio moral, intimidação e machismo que recebem e que haviam recebido no dia da paralisação.

Durante a reunião, o Diretor Geral da unidade, Hugo Dias, esteve presente e intimidou os funcionários, afirmando que iria enviar falta e advertência aos trabalhadores que participaram da atividade sindical. Informando que essa era a orientação feita pelo secretário municipal de saúde, George Antunes. No entanto, a Lei de Greve e o encaminhamento de edital feito pelo sindicato com 72h de antecedência da atividade respaldam os servidores.

Além disso, ainda durante a reunião, o médico da unidade, Victor Vinicius de Almeida Ferreira (CRM: 6229) e ex-prefeito da cidade de Caiçara do Norte, tratou com agressividade, intimidou com frases como “Você não sabe com quem está falando!” e agrediu verbalmente a diretora do Sindsaúde RN, Kelly Jane, e os trabalhadores. Tendo que ser contido pelos servidores para não agredi-la fisicamente.

Dessa forma, o Sindsaúde RN vem afirmar que assédio moral é crime e violência contra a mulher também! As medidas jurídicas e políticas cabíveis estão sendo tomadas! Repudiamos qualquer forma de intimidação aos trabalhadores que lutam! E todas as formas de opressão machista dentro das unidades e na sociedade.

Devemos combater o machismo diariamente em nossos locais de trabalho, denunciando os casos de violência e nos solidarizando com as vítimas! DIGA NÃO AO MACHISMO E AO ASSÉDIO MORAL! Não vamos permitir!

 

Autor: Comunicação Sindsaúde

Boletim Eletrônico

  • Digite o código: 4789

  •