Notícias

01 de outubro de 2018

Reforma da Previdência: Se botar pra votar, é Greve Geral pra derrotar!




Governo Temer ameaça votar a Reforma da Previdência após as eleições

Mais uma vez o Governo Temer ameaça votar a Reforma da Previdência. Ainda esse ano. Afirmou à imprensa que “após as eleições, os deputados e senadores não vão estar mais preocupados com os votos e vão poder voltar suas atenções às questões do país”. Disse ainda que estuda suspender a intervenção militar no Rio de Janeiro, que impede a votação do projeto, para colocar o texto em pauta no Congresso novamente.

Esta ameaça necessita de uma resposta urgente da classe trabalhadora. “Nossa classe e nossas organizações, começando pelas Centrais Sindicais, precisam se mover urgentemente e, independente do calendário eleitoral ou do resultado das eleições, nossa tarefa imediata é preparar uma nova Greve Geral”, declara o dirigente da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas Atnágoras Lopes.

 

Mesmo estando às vésperas das eleições é preciso botar para fora Temer e os corruptos do Congresso Nacional, que aprovaram a Reforma Trabalhista e a lei da Terceirização. Esse presidente se atreve a anunciar novamente a Reforma da Previdência pois sabe que entre os candidatos melhores colocados nas pesquisas de intenção de voto para presidência da República nenhum deles se compromete a não fazer tal reforma.

Portanto, cabe às direções do movimento, retomarem a luta. “Se botar pra votar, o Brasil vai parar”. Essa palavra de ordem já é um acúmulo unitário entre as Centrais e a ampla maioria das organizações do movimento de massas. Foi exatamente contra a Reforma da Previdência que construimos a mais ampla unidade da classe trabalhadora e fizemos a maior Greve Geral dos últimos 30 anos.

“Derrotamos o governo e os interesses da banca internacional naquele momento. Agora é hora de ser ofensivo novamente. Não se deve brincar com coisa séria, aliás, eles não estão de brincadeira”, reforça Atnágoras.

A CSP-Conlutas chama as Centrais Sindicais a organizarmos, em caráter de urgência, uma reunião unitária pra tratarmos desse tema.

“Além de nos posicionarmos publicamente, precisamos preparar uma movimentação, junto as nossas bases e o conjunto da população brasileira, fazendo um chamado às demais organizações do movimento de massas, no sentido de preparar a resistência ativa de nossa classe contra essa ameaça”, antecipa o dirigente da CSP-Conlutas.

Reforma da Previdência: Se botar pra votar, é greve geral pra derrotar!

Fora Temer e todos os Corruptos do Congresso Nacional!

Revogação imediata da Reforma Trabalhista e da lei da Terceirização!

 

Autor: CSP-Conlutas

Boletim Eletrônico

  • Digite o código: 9869

  •