Notícias

23 de abril de 2018

População e servidores da saúde vão às ruas contra o fechamento do Hospital Regional de João Câmara




Cerca de 200 pessoas saíram em caminhada pelas ruas de João Câmara

O dia amanheceu com muita luta no município de João Câmara/RN, cidade que fica há 95 km de Natal. A população e os servidores da saúde estiveram juntos para lutar por algo em comum, o Hospital Regional Josefa Alves Godeiro, mais um hospital na mira do governador Robinson Faria (PSD), sob a ameaça de ser fechado.

A manifestação que teve concentração em frente ao hospital saiu em caminhada pelas ruas da cidade, finalizando na Praça do Centro. Durante o ato, uma grande surpresa, crianças e professoras do colégio Júnior Souza se somaram aos demais manifestantes com cartazes em defesa da saúde pública e do hospital de João Câmara.

Para Edvalda Lopes, diretora do Sindsaúde-RN, fechar o Hospital Regional é um crime, pois irá deixar a população e os servidores desassistidos. “Não vamos permitir que o Hospital Regional, que é a única referência que temos seja fechado. Com essa medida o governador pretende remover os servidores da saúde que moram e trabalham em João Câmara há anos, que construíram suas vidas aqui ao lado de suas famílias para outras cidades, e prejudicando ainda, a assistência à população. Nós não vamos aceitar, por isso, chamamos a todos a se somar nessa luta em defesa de um direito que é nosso, um direito que deveria ser básico a todas e todos.”, disse.

Durante a caminhada, uma servidora do Hospital declarou que mesmo com a falta de investimento por parte do governo, o hospital vem funcionando. “Apesar de toda omissão do governador, o hospital regional tem prestado relevantes serviços a João Câmara e toda região de Mato Grande. Mesmo de forma precária, o hospital tem salvado vidas”, disse a servidora.

O Sindsaúde que esteve à frente da construção do ato público, repudia toda e qualquer forma de ataque e retirada de direitos. O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pelo governo do Estado, Ministério Público do Trabalho e Ministério Público do Estado, que ameaça fechar sete hospitais regionais é mais um ataque do governo Robinson à saúde do Rio Grande do Norte. O sindicato propõe a suspensão do TAC e mais investimentos. Nenhum hospital ou serviço a menos!

No dia 21 de maio está marcada uma audiência na Sesap (Secretaria da saúde do Estado) para discutir o TAC. O horário ainda não foi definido. O Sindsaúde se comprometeu em enviar uma caravana com servidores e população da Região de Mato Grande à audiência para fazer pressão contra o fechamento.

Entenda:

O Governo do Estado e Ministério Público do Rio Grande do Norte estão aplicando uma política de sucateamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e assim, utilizando de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para fechar, reduzir serviços e unidades hospitalares em todo o Estado. Podendo até demitir servidores terceirizados e redistribuir os demais funcionários.

Com a desculpa de 'mudança no perfil' dos hospitais, o Governo pretende entregar o Hospital Regional Josefa Alves Godeiro, de João Câmara, a administração do município. Fazendo com que o Hospital perca o perfil regional e deixe de assistir a população da Região do Mato Grande, limitando-se ao atendimento de urgência e clínica, apenas para a população do município.

 

Confira a galeria de fotos:

 

 

Autor: Comunicação Sindsaúde

Boletim Eletrônico

  • Digite o código: 1842

  •