Notícias

20 de fevereiro de 2018

Servidores da saúde do RN suspendem greve de 100 dias




Categoria terá uma nova assembleia geral no dia 14 de março

Na manhã desta terça-feira (20), cerca de 300 servidores da saúde do estado do Rio Grande do Norte se reuniram no auditório do Sinpol para avaliar a greve que completou 100 dias no dia de hoje. Após discussão da categoria, os servidores decidiram em ampla maioria suspender a greve.

Foram cem dias de resistência. De acampamentos, ocupação na Seplan, ocupação na Assembleia Legislativa, atos, manifestações e de grandes enfrentamentos em defesa do salário em dia e de um calendário de pagamento.

Em meio à luta pelo salário em dia, os servidores foram surpreendidos com um pacote de ajuste fiscal do governador Robinson Faria (PSD), enviado em regime de urgência à Assembleia Legislativa do RN. Esse pacote sofreu uma dura resistência dos servidores públicos do estado, em especial às duas categorias que estavam em greve: A saúde e a UERN. E dois dos principais projetos foram derrotados. O da extinção dos adicionais por tempo de serviço (ADTS) e o que acabava com a paridade (igualdade) entre ativos, aposentados e pensionistas.

Após muitos dias de luta, os salários dos servidores da ativa estão regularizados. Durante a assembleia, pontuou-se que o governo ainda falta pagar o 13º salário e colocar em dia o pagamento dos aposentados e pensionistas, onde o salário de quem ganha acima de R$ 4 mil não foi finalizado. 

Os servidores ainda aprovaram a construção do dia 8 de março (Dia Internacional de Luta das Mulheres) e uma nova assembleia para o dia 14 de março.

Para o Sindsaúde-RN, a greve foi uma demonstração de luta e resistência dos servidores da saúde que estavam apenas buscando o que é de direito: receber o salário em dia.

“Suspender a greve não significa que a luta acabou. Nós vamos continuar lutando em defesa dos nossos direitos, em defesa dos aposentados que estão com os salários atrasados e por melhores condições de trabalho na saúde desse Estado”, disse Manoel Egídio, Coordenador-geral do Sindsaúde-RN.

 

Autor: Comunicação Sindsaúde

Boletim Eletrônico

  • Digite o código: 5209

  •