Notícias

21 de dezembro de 2017

Em assembleia, servidores da saúde do RN aprovam continuidade da greve




Nesta sexta (22), servidores farão uma campanha de arrecadação de alimentos no Nordestão da Roberto Freire e do Santa Catarina

Na manhã desta quinta-feira (21), a categoria da saúde realizou uma assembleia para discutir os rumos da greve que completou 38 dias. Com a notícia de que os salários de novembro seriam iniciados nesta quinta, para quem recebe até R$ 2 mil reais e que o governador Robinson só iria pagar o 13º no dia 10 de janeiro, os servidores da saúde do RN decidiram continuar a greve.

Em um comunicado nas redes sociais, o governador Robinson Faria (PSD), pede aos servidores que retornem ao trabalho, “que sigam com suas atividades, prestando seu tão importante serviço à população”. No entanto, muitos servidores estão se quer com dinheiro do ônibus, é o caso da técnica de enfermagem, Maria do Carmo, servidora do hospital Santa Catarina, que desabafou durante a assembleia.

Na minha casa além de conta atrasada falta comida. Se o governador quer que eu vá trabalhar, coloque o salário em dia. Isso é tirar a responsabilidade do governo dos hospitais estarem funcionando. O que adianta eu sair de casa com minhas moedas contadas e deixar de comprar o pão do meu filho? Não vou fazer isso", disse a servidora.

A situação está tão desesperadora que servidores da saúde realizaram um ato nesta quarta-feira (20), em frente ao hospital Walfredo Gurgel, maior unidade hospitalar do estado e foram às ruas chamar a atenção da população para o descaso do governo. Usando faixas e cartazes, eles denunciaram a situação e também aproveitavam o sinal fechado para vender balas e pedir doações aos motoristas.

“É inadmissível que o governador vá para a mídia e peça que os trabalhadores voltem a trabalhar sem terem as mínimas condições. A maioria dos servidores não dispõe de outra fonte de renda a não ser essa. Muitos servidores estão endividados, sem dinheiro para alimentar sua família. Mesmo trabalhando em péssimas condições, os servidores dedicam boa parte de suas vidas ao atendimento à população e é dessa forma que o governo trata. Salário é um direito básico. Os servidores só querem trabalhar e receber o salário em dia”, declarou Rosália Fernandes, diretora do Sindsaúde-RN.

 

Autor: Comunicação Sindsaúde

Boletim Eletrônico

  • Digite o código: 9863

  •